Vírus "adormecido" pode provocar dor crônica

30/03/2021

Neuralgia pós-herpética é uma complicação do herpes zoster, doença viral que pode acometer idosos que tiveram catapora na infância.

Mais comum em pacientes idosos, a herpes zoster, conhecida popularmente como cobreiro, é provocada pela reativação do vírus Varicella zoster, causador da catapora ou varicela. A doença pode acontecer pela queda na imunidade, câncer, trauma local e até sinusites. Uma das complicações mais comuns é a neuralgia pós-herpética, caracterizada por dor persistente após as erupções de herpes zoster, causada por lesões nas fibras nervosas da pele.

"Cerca de 40% dos pacientes com herpes zoster apresentam quadro de dor crônica após a doença, doença conhecida como neuralgia pós-herpética. Os sintomas vão desde a sensação de queimação na região das lesões, alteração da sensibilidade, coceira e/ou formigamento", enumera o médico especialista em dor crônica, André Félix.

O médico explica que o tratamento é definido de acordo com avaliação do quadro do paciente. "Alguns procedimentos podem ajudar no controle da dor pós-herpética, com resultados que podem durar meses ou anos, além de diminuir a necessidade do uso de analgésicos, antidepressivos e pomadas", alerta André.

Entenda

Quando a catapora é curada, o vírus fica alojado nos gânglios dorsais, ao lado da coluna e podem ficar lá por anos e até o resto da vida sem causar problemas. Porém, quando a imunidade baixa, esse vírus pode se reativar e migrar por meio do nervo correspondente em que estava latente e causar a herpes zoster, caracterizada pela formação de inúmeras vesículas doloridas na pele, geralmente em trajeto linear no tronco, face ou membros.

Diferente da catapora, a herpes zoster não é contagiosa. Para prevenir a doença, é aconselhável que pessoas acima de 50 anos sejam imunizadas com vacina.

Área de anexos