Verão: conheça e saiba como evitar os vilões da saúde das crianças

26/12/2019

Afogamentos, desidratação, diarreia e queimaduras solares são alguns dos problemas que podem ser evitados na época mais quente do ano

O verão começa oficialmente neste domingo, 22 de dezembro, e a criançada já está curtindo as férias escolares. Uma combinação que rende dias de brincadeiras e muita diversão. No entanto, para evitar os vilões dos dias quentes e visitas ao pronto-atendimento, o pediatra da São Bernardo Saúde, Madson Ferreira Machado, a nutricionista Leticia Matrak e a dermatologista Ana Flávia Moll orientam que os pais tomem alguns cuidados com a saúde dos pequenos, principalmente com o risco de afogamento, infecção intestinal e queimaduras solares.

"Normalmente as famílias aproveitam para ir para praias e piscinas, por isso, é importante que os pais fiquem de olho nas crianças, porque afogamento está como uma das causas mais frequentes de acidente em crianças. O uso de coletes, em vez de boias, também é recomendado. E, principalmente, antes de deixar as crianças entrarem na água, analise bem o ambiente e mantenha atenção redobrada", orienta. Vale lembrar que, no mesmo período do ano passado, o Corpo de Bombeiros contabilizou 21 mortes por afogamento no Espírito Santo, sendo a maioria entre crianças com faixa etária abaixo de 10 anos.

As queimaduras solares e insolação podem ser prevenidas com o uso de roupas adequadas, se possível com fator de proteção solar; chapéu/boné e protetor solar. Outra recomendação médica é que se evite a exposição solar entre 10h e 16h, dando preferência aos locais com sombra e ventilados.

Nesta época é comum as crianças e os bebês sofrerem com brotoejas e assaduras, como explica a dermatologista Ana Flávia Moll. "As bolinhas vermelhas são provocadas pelo entupimento dos poros por onde é eliminado o suor. Como os ductos excretores das glândulas sudoríparas são muito finos nos bebês, ficam obstruídos com facilidade, causando irritação e coceira", esclarece a especialista. O tratamento é colocar a criança em ambiente fresco e ventilado ou com ar condicionado usando roupas leves, preferivelmente de algodão. Podem ser usados para aliviar os sintomas da doença: loção com calamina ou talco líquido, encontrados em qualquer farmácia, ou ainda amido de milho, já conhecido do tempo das vovós. "Para evitar assadura, o ideal é trocar as fraldas com frequência. De preferência de três em três horas ou após a evacuação e fazer a higiene perfeita do bebê, utilizando cremes próprios para isso", reforça.

Cuidados na alimentação

Além dos cuidados com o sol, a alimentação também requer atenção; haja vista que, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a doenças diarreicas constituem a segunda principal causa de morte em crianças menores de cinco anos.

A nutricionista Leticia Matrak explica que, por isso, durante o verão, é preciso uma atenção especial com a alimentação das crianças. A digestão nesta época do ano fica mais lenta e a proliferação de bactérias é maior. Por isso, é preciso ter muito cuidado com os alimentos consumidos nas praias. "O ideal é levar os alimentos preparados em casa, como suco, água e biscoito. Um dos recordistas de infecção intestinal durante o verão é o queijo assado, pois, não fica armazenado de maneira adequada e as bactérias acabam se proliferando", disse.

Obesidade

Os cuidados com a alimentação devem durar durante todo o período de recesso, para evitar o sobrepeso. As crianças devem evitar comer salgadinhos e biscoitos recheados. Os refrigerantes também devem ser riscados do cardápio. "Por causa da praticidade, os pais acabam recorrendo a alimentos industrializados e isso pode causar obesidade. Sucos naturais e frutas são as melhores opções de alimentos entre as refeições principais", destaca Letícia.