Tratamentos para a região íntima

08/01/2020

Cor escurecida, incontinência urinária e flacidez na área genital causam constrangimentos que podem afetar a autoestima. Mas sabe aqueles procedimentos para o rosto que você já conhece? Eles também podem ser feitos na vagina

O assunto já vem deixando de ser tabu e a procura por tratamentos estéticos para a região íntima não para de crescer. E, com o passar dos anos, assim como a pele, a área íntima também sofre com os efeitos do envelhecimento: podem ocorrer a flacidez da vulva, redução da elasticidade de grandes lábios e frouxidão vaginal, por exemplo.

Um dos tratamentos que tem sido com sucesso no rejuvenescimento íntimo é o ultrassom microfocado. A tecnologia utiliza o calor para promover a melhora da flacidez e também da incontinência urinária. A dermatologista Ana Flávia Moll explica que as ondas do ultrassom aquecem as camadas mais profundas da pele, estimulando o colágeno. "Com o tratamento, há contração imediata e a melhora do tônus do canal vaginal é percebida logo após a primeira sessão sendo possível apresentar evolução no período de três meses após o procedimento, quando um novo colágeno continua a ser produzido, reduzindo assim a flacidez", esclarece a médica. É possível perceber essa melhora imediata, pois a pressão do canal vaginal é medida antes e logo após a aplicação.

Entre as queixas mais comuns está o escurecimento da genitália e da virilha e uma técnica coreana, o BB Glow, que tem sido usada com sucesso para o rosto está sendo usado para clarear a área.

A micropigmentadora Vanessa Cabral, pioneira no tratamento do Estado, explica que o procedimento atua no rejuvenescimento de modo geral da vagina, clareando e uniformizando o tom. "O BB Glow é indolor e realizado na epiderme, ou seja, na camada superficial da pele e é utilizado um dispositivo que vai auxiliar no depósito dos componentes na área tratada. Entre os ativos utilizados há vitaminas, ácido hialurônico e uma base com tonalidade específica para cada cor de pele para dar cobertura instantânea", pontua.

Além de clarear, o tratamento também estimula o colágeno, rejuvenescendo vagina e virilha, de modo geral.

O resultado já é perceptível a partir da primeira sessão, mas geralmente, são indicadas 3 sessões com intervalos de 20 dias entre cada uma e o efeito do tratamento pode durar de 4 meses a 1 ano.

Peeling

O peeling genital também é um procedimento que tem o objetivo de clarear as áreas escurecidas da região genital. De acordo com a fisioterapeuta da Moll Dermatologia, Débora Marques, o procedimento dura cerca de 30 minutos cada uma e podem ser feitas até seis sessões, sendo aplicado em regiões de pele mais densa. "Áreas como virilha, perianal, parte externa dos grandes lábios vaginais e o monte de vênus, que é a região pubiana, são as que melhor respondem ao tratamento", explica a especialista.

É usada uma combinação de ácidos selecionados a partir do tipo de pele da paciente, que promove a descamação, clareamento de manchas e até a estimulação do colágeno, além de reduzir o aspecto de rugosidade da pele genital.