Seguradoras se adaptam aos tempos de Coronavírus

14/05/2020

Além das facilidades para pagamentos, empresas oferecem serviço para que o segurado faça a vistoria do seu veículo sem contato físico

Por conta da medida de isolamento social, orientada pelas autoridades de saúde, as seguradoras - assim como diversas empresas - têm se adaptado a este novo momento, atendendo a realidade do país. Na corretora de seguros Ilha Azul, por exemplo, além de facilidades nas contratações dos serviços, eles estão oferecendo também, aos novos clientes serviços para que o proprietário do veículo realize, sem a necessidade de sair de casa.

É o caso da Self-Vistoria. De acordo com Karolynne Cavedo, Superintendente de benefícios, a ideia é que neste formato o próprio cliente faça a vistoria no carro, com a supervisão online dos profissionais, evitando assim o contato físico. "Esta modalidade tem o intuito de colaborar com o isolamento social, evitando que o cliente precise se deslocar com o veículo. Ao contratar o seguro, a pessoa recebe da empresa um link, por mensagem no celular, e ela mesma realiza a vistoria em seu veículo, com fotos feitas pelo próprio segurado", explica.

O profissional ainda conta que a demanda para adesão de novas apólices sofreu uma queda juntamente com a venda de veículos novos e usados, que também teve uma grande redução. "Mesmo assim, percebemos que existe uma consciência da importância do seguro para as pessoas e quem já possui, não estão deixando de renovar sua apólice. Por isso, temos praticado condições especiais de valores e formas de pagamento facilitadas nas contratações desses serviços - com opções em até 12 vezes, sem juros", conta.

Com isso, percebe-se que diante das dificuldades enfrentadas por todos, as seguradoras têm se mostrado sensíveis com a situação e a necessidade das pessoas em manter seu seguro ativo, até pelo fato de os veículos estarem mais tempo parado e propício a algum imprevisto, por exemplo. "As coberturas e serviços não foram alterados em nada e os atendimentos também estão sendo prestados normalmente, já que se trata de uma atividade emergencial. Por isso, não podem ser paralisadas e seguem, sem qualquer alteração, cumprindo todas as normas e protocolos recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS)", informa.