Riscos para o coração no inverno

30/07/2021

Endocrinologista alerta para prática de exercícios moderados para população de risco

Estudos da Associação Americana do Coração (American Heart Association) revelam que durante o inverno a incidência de infartos aumenta em até 25%, principalmente devido aos dias mais frios, e um dos motivos é que o organismo trabalha mais para manter o corpo aquecido. De acordo com a endocrinologista e especialista em Medicina Esportiva, Gisele Lorenzoni, o que acontece é "que devido às baixas temperaturas há a necessidade de adaptações no sistema cardiovascular que trabalha mais para manter seu equilíbrio e assim quando as terminações nervosas da pele se ressentem com o frio, o nosso metabolismo se prepara para evitar a perda do calor", explica a médica.

Assim, a médica alerta para a prática de exercícios físicos de uma forma moderada para a população de risco. "Os idosos, obesos, hipertensos e sedentários devem praticar exercícios, sim, porém de forma moderada, já que as pesquisas mostram o aumento do risco de infarto nesta população durante o inverno, por causa da vasoconstrição, que diminui o fluxo sanguíneo do cérebro e do coração, órgãos nobres do organismo", destaca.

Já para quem é adepto à prática e fora desse grupo de risco, o ideal é manter os exercícios e uma boa alimentação. "Muitos deixam de praticar atividade física no inverno e consomem mais alimentos calóricos, pelo aquecimento corporal que proporcionam, porém é preciso atenção aos alimentos. Evite massas, troque por sopas ou caldos de legumes", afirma Gisele. "E mantenha a atividade física, sempre se agasalhando evitando o choque térmico dependendo do que é praticado", ressalta.