Queda de cabelos está entre as sequelas da Covid-19

01/10/2021

O efeito tem atingido aproximadamente um terço dos indivíduos diagnosticados com a doença e após quadros graves, leves ou mesmo assintomáticos

O pior da Covid-19 passou com o risco de morte. Mas, muitos estudos têm descoberto cada vez mais tipos de sequelas que a doença pode deixar no organismo. Uma delas é a queda de cabelo, que por ser um sintoma recente, que está em análise de médicos e cientistas, ainda não se sabe quais são os mecanismos que gera este efeito em homens e mulheres. O efeito tem atingido aproximadamente um terço dos indivíduos diagnosticados com a doença e após quadros graves, leves ou mesmo assintomáticos

Essa queixa apareceu em um levantamento americano conduzido pela Escola de Medicina da Universidade Indiana e pela Survivor Corps, um grupo de sobreviventes do Covid-19 que busca aumentar a compreensão sobre a doença e impedir a disseminação do vírus. Cerca de 1.500 pacientes que sofreram com sintomas por semanas e até meses participaram da investigação.

Um estudo recente do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) identificou 17 sintomas persistentes da Covid-19. Os participantes reportaram 98 de longo prazo, incluindo - entre outros problemas - relatos de dor nos nervos, dificuldade de concentração e para dormir, visão embaça e a queda do cabelo.

De acordo com a médica, Letícia Rizzo, quem já está notando uma queda intensa dos fios, é importante seguir alguns cuidados para se recuperar. "Deve-se continuar com a lavagem dos cabelos normalmente. A interrupção da limpeza pode provocar dermatite seborreica no couro cabeludo e piorar a queda. Além disso, é importante manter uma alimentação equilibrada e variada, o controle do estresse, a melhora na qualidade do sono e o equilíbrio emocional", destaca.

Tratamento

Um procedimento indicado como solução em casos assim, é o transplante capilar. Nesta área, a técnica FUE (Extração de Unidade Folicular, em português) é a mais moderna e apresenta os melhores resultados. A médica, Letícia Rizzo, explica que esta é uma cirurgia, que envolve anestesia local, com um efeito bastante natural, pois se trata de transplante fio a fio.

"Nessa técnica as unidades foliculares são extraídas uma a uma por meio de pequenas incisões no couro cabeludo com auxílio de um instrumento cirúrgico chamado punch. Em uma única sessão são extraídas de 2 a 4 mil unidades foliculares, que podem render acima de 10 mil fios de cabelos. Depois esses folículos são transplantados para a nova área, com auxílio de pinças, os fios passam por um processo de queda com o repouso da raiz. Assim, o novo cabelo irá crescer de três a seis meses após a cirurgia. Sendo que os resultados finais dos transplantes se dão em média com um ano após o procedimento", explica.

O transplante capilar é recomendado para homens e mulheres. Só é indicado que tenha uma boa área doadora com cabelos saudáveis para transferir os folículos para a região receptora. Este procedimento também pode ser realizado em outras áreas, como sobrancelha ou barba.