Pesquisa defende início de aulas mais tarde após experiência de lockdown

14/01/2022

Dormir mais ajudou adolescentes durante a pandemia

Uma pesquisa recém-publicada no JAMA Network Open, feita na Suíça, mostrou que os estudantes puderam dormir 75 minutos a mais no período de lockdown em que tiveram aulas remotas. Foram avaliadas 3,6 mil estudantes do ensino médio com idade média de 16 anos e comparado ao sono a um período típico de aulas referente ao ano de 2017. O período adicional de sono mostrou que os índices de saúde destes adolescentes melhoraram.

De acordo com a médica Especialista em Medicina do Sono, Dra. Jessica Polese, a pesquisa pode ser benéfica e analisada. "Por mais que pais e mestres sigam a premissa que é bom o adolescente ter responsabilidade cedo e seguir uma rotina - questões que também são defendidas por nós, especialistas - um horário um pouco mais tarde para quem estuda pela manhã pode auxiliar em muito a produtividade deles", explica a médica.

A pesquisa na Suíça também mostrou que houve redução no consumo de álcool e cafeína pelos adolescentes, durante este período de aulas em casa e uma melhora da saúde.

Para Jéssica, esses fatores ocorreram por uma proximidade com os pais ou responsáveis, e por hábitos mais saudáveis. "A partir do momento em que os adolescentes puderam dormir um pouco mais, eles tiveram a rotina adequada, menos cansaço durante o dia, e mesmo dormindo um pouco mais tarde, noites de sono melhores", pontua. E completa que, "com a volta às aulas, se ocorresse essa início mais tarde, os adolescentes teriam uma melhor atenção e rendimento nas escolas", explica a especialista.