Pescoço e colo também podem sofrer com o envelhecimento

20/08/2021

Após realizar um procedimento de rejuvenescimento facial, é natural sentir-se insatisfeito com o aspecto envelhecido da pele do pescoço e do colo. É nesse momento que várias pessoas voltam ao dermatologista com o intuito de reverter os sinais de rugas, sulcos, flacidez e manchas, e eliminar o contraste com a face anteriormente tratada.

"Geralmente, os primeiros sinais de envelhecimento no pescoço começam a surgir a partir dos 40 anos de idade, mas o adequado é prevenir a perda do viço e o surgimento de linhas de expressão desde cedo", explica a dermatologista Karina Mazzini.

Segundo ela, o ideal é procurar um dermatologista, que é quem pode avaliar e prescrever formulações tópicas com efeitos antissinais e clareadores para pacientes que desejam prevenir o envelhecimento.

"A pele do pescoço precisa de cuidados diários, como limpeza, proteção solar, hidratação e cremes antienvelhecimento", afirma a médica. Esses cremes podem conter ácidos (como o retinoico e glicólico), antioxidantes (como a vitamina C e vitamina E), peptídeos, estímulo de colágeno e hidratantes potentes (como o ácido hialurônico).

Além dos cuidados de prevenção home care, há diversos tratamentos que possibilitam rejuvenescer o pescoço e o colo de quem já sofre com o problema. Existem os tratamentos que usam a tecnologia e os que usam injetáveis.

Quando falamos dos tratamentos com o uso da tecnologia, o ultrassom microfocado é uma das recomendações de Karina, já que além de combater a flacidez, também estimula a produção de colágeno. "O ultrassom também trata a papada, que é uma reclamação muito constante", diz a médica.

Para manchas, os tratamentos mais indicados são as terapias a laser, como a luz intensa pulsada, o laser de CO2 e o laser de Erbium.

Além das tecnologias, existem os tratamentos injetáveis para a região do pescoço. Entre eles, destacam-se os bioestimulador de colágeno, os preenchedores e a toxina botulínica "Uma outra possibilidade é associar os injetáveis a um tratamento utilizando a tecnologia", sugere Karina.