Cientistas rejuvenescem pele em 30 anos

11/04/2022

Ainda em fase de pesquisa, dermatologista cita cuidados para manter a pele jovem

Pesquisadores da Universidade de Cambridge no Reino Unido rejuvenesceram a pela de uma mulher de 53 anos para a aparência de 23 anos. O estudo tem base na mesma técnica de reprogramação celular usada na década de 90 que criou a ovelha clonada Dolly. Em fase inicial, a pesquisa conseguiu identificar genes específicos que rejuvenescem sem ter que reprogramar a célula. O objetivo final da pesquisa é desenvolver tratamentos para doenças relacionadas à idade, como doenças cardíacas, neurológicas, diabetes, etc.

A princípio, a técnica não pode ser testada clinicamente, pois aumenta o risco de câncer, dizem os cientistas. Mas a ideia é avançar e oferecer mais qualidade de vida aos idosos.

Para a dermatologista e Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Dra. Irene Baldi este estudos oferecem esperanças em melhores tratamentos para a saúde e para a estética dos pacientes. "A cada estudo surgem novas oportunidades de tecnologias que nos auxiliam a tratar a pele de forma cada vez mais eficiente", afirma a dermatologista.

"Seja para a parte estética como redução de manchas, rugas, linhas de expressão, quanto para tratamentos como queimaduras, alergias, doenças da pele, etc", destaca Irene.

Enquanto as pesquisas são realizadas, a dermatologista ressalta que é possível ter uma rotina saudável para cuidados com a pele aliados a tratamentos dermatológicos. "Limpar a pele promovendo a renovação celular; usar protetor solar; hidratantes e cremes indicados para seu tipo de pele; dormir e se alimentar bem, além de beber água são regras básicas para auxiliar na beleza e viço da pele", explica a dermatologista. "E, junto a um skincare básico, tratamentos como toxina botulínica, bioestimuladores de colágeno, laser, aplicação de ácidos e microagulhamento irão auxiliar no rejuvenescimento da pele", pontua Irene.