O humorista Paulo Gustavo e o marido se tornam pais de gêmeos, através da Reprodução Assistida. Entenda!

20/08/2019

O humorista Paulo Gustavo e o dermatologista Thales Bretas anunciaram no último domingo, dia 18, o nascimento de Romeu e Gael, seus filhos gêmeos gerados por meio de uma "barriga de aluguel". Porém, apesar de popular, o termo está incorreto. A ginecologista e doutora em Reprodução Humana, Layza Merizio Borges, alerta que o correto é "gestação de substituição" ou "doação temporária do útero". No Brasil, a Resolução 2.168 do CFM de 21/09/2017 definiu que a cessão temporária do útero não pode ter caráter lucrativo ou comercial. Ela é indicada quando há uma questão médica que impeça ou contraindique a gestação, como em pacientes que tiveram que retirar o útero ou tenham doenças cardíacas graves, em que a gravidez ofereça risco à vida.

Gravidez por substituição

Em casais homoafetivos masculinos também é necessário recorrer à doação de óvulos e ao útero de substituição. "Apesar da adoção ainda ser o caminho mais buscado por casais homoafetivos para realizar o sonho de formar uma família, existem os que querem passar pela experiência de ter um filho biológico e acompanhar a gravidez. Nesses casos, a opção é a reprodução assistida por meio da fertilização in vitro", explica Layza. No Brasil, a paciente que cederá o útero deve pertencer à família de um dos parceiros até o parentesco de quarto grau, o que reduz a chance de rejeição à implantação. Demais casos devem ser autorizados pelo Conselho Regional de Medicina. Já a doação de óvulos deve ser anônima, sigilosa, mas também sem caráter lucrativo. "O gesto de doar óvulos ou ceder o útero para realizar o sonho de alguém de ter um filho é um exemplo de altruísmo e amor!", diz Layza.

Se o casal for formado por mulheres, uma delas pode receber os gametas masculinos de um doador anônimo e levar a gravidez adiante. Um exemplo é o de Tammy Miranda e sua esposa Andressa Ferreira. O casal recorreu à fertilização in vitro e o óvulo de Andressa foi fecundado por espermatozoides de um doador anônimo. O procedimento aconteceu nos Estados Unidos.

Foto: Jaqueline Sathler