Nova técnica oferece mais qualidade para enxertos e implantes

30/07/2021

Procedimento oferece uma cicatrização mais rápida para o tratamento, dentre outras vantagens

A mais recente Pesquisa Nacional de Saúde, feita pelo IBGE em 2019 e divulgada em setembro de 2020, constatou que dos 162 milhões de brasileiros acima de 18 anos, 34 milhões perderam 13 dentes ou mais. Pior ainda: 14 milhões perderam todos os dentes. E uma solução para isso, que possui técnicas e materiais cada vez mais acessíveis, é o implante dentário.

De acordo com a implantodontista da Odontoclinic Laranjeiras, Karla Butilheiro Capeli, esta é a melhor forma de repor dentes perdidos. "Os implantes têm uma taxa de sucesso muito alta. Em torno de 97,5%. E o ideal é que o paciente não fique muito tempo sem o dente e, assim, possamos aproveitar o osso ali presente. Quando não há o osso, é necessário fazer um enxerto. Nestes casos, normalmente o prazo médio para a cicatrização fica em torno de um ano", explica.

A especialista conta que para estas situações surgiu a Fibrina Rica em Plaquetas (PRF) que vem sendo utilizado com o objetivo de acelerar a cicatrização e a regeneração em diversos procedimentos cirúrgicos. "De forma bem simples, o dentista colhe o sangue do paciente e o passa por uma centrifuga, onde partes dele se separam. A parte vermelha é separada da parte de regeneração (mais amarelada). Essa parte pode ser usada em enxertos gengivais ou misturada com o osso do enxerto. Isso proporciona uma maior regeneração dos tecidos e também minimiza o desconforto do paciente no pós-operatório, pois não precisamos retirar um material de outra área da boca do paciente", afirma.

Com este procedimento, o enxerto tem um tempo de cicatrização menor - em torno de seis a oito meses - e o osso obtido é normalmente mais firme do que o obtido sem o PRF. "É um procedimento completamente inovador e por se tratar de uma modalidade em que o material é retirado do próprio paciente, diminui-se ou elimina também o risco de rejeição ou infecções", diz.

A saúde começa pela boca

Segundo estudo do Instituto do Coração (InCor), 45% das doenças cardíacas e 36% das mortes por problemas cardíacos estão relacionadas a infecções bucais não tratadas. Além disso, as estatísticas pioraram em virtude da pandemia do novo coronavírus, a ponto de a Federação Dentária Internacional (FDI) classificar o momento como um "desastre odontológico".

Entre os fatores responsáveis pela deterioração da saúde bucal do brasileiro durante a pandemia estão: a má alimentação, a negligência com a escovação dos dentes e o estresse. Por tudo isso, os especialistas são unânimes em afirmar que é preciso realizar periodicamente as consultas odontológicas e seguir com os tratamentos já orientados pelo dentista.

Vantagens do uso do PRF:

- Sua preparação é uma técnica simplificada e eficiente, pois a centrifugação é em um único passo.

- É obtido por amostra de sangue autóloga com manipulação mínima do sangue.

- Sem risco de sofrer uma reação imunológica, uma vez que o sangue é do próprio paciente.

- Estrutura de fibrina natural com fatores de crescimento que estimulam a regeneração dos tecidos de forma eficaz.

- Pode ser utilizado unicamente ou então em combinação com enxertos ósseos, dependendo da finalidade.