Mamães de olho para fazer cirurgias após a gestação

Procedimentos minimizam insatisfação com o corpo depois da gravidez

O ganho de peso na gestação e o período de amamentação acabam levando muitas mamães a uma insatisfação com o próprio corpo. Em casos assim, a cirurgia plástica tem sido uma aliada para contribuir, inclusive, com a autoestima dessas mulheres, durante um momento de tantas mudanças em sua vida. Nos consultórios, a correção da mama e a eliminação da flacidez no abdômen são os principais objetivos dessas pacientes.

Mas, o cirurgião plástico Fabricio Regiani alerta que existe uma perda natural de peso da mulher no período e, por isso, é preciso aguardar no mínimo seis meses para fazer qualquer intervenção, respeitando também o período de amamentação exclusiva. "Muitas mães relatam um certo incômodo para lidar com a queda dos seios e, neste caso, a solução pode ser a mastopexia, que pode ser associada ou não à colocação do silicone", explica.

De acordo com o médico, a colocação do implante de silicone por uma incisão infra mamária não oferece risco para uma amamentação futura, já que a glândula mamária não é afetada. Além disso, as mães que optam pela intervenção com o filho ainda bebê, devem se preocupar com a sua recuperação que envolve repouso e cuidados especiais.

Em linhas gerais, não pode ter movimentação dos braços nos primeiros sete dias para que possa ocorrer a cicatrização. Depois de 20 dias a um mês a mulher não poderá levantar os braços acima da altura dos ombros. Nesse período deve-se evitar segurar objetos pesados (o que inclui o bebê) e também dirigir. Fazer exercícios de musculação com os membros superiores só a partir de dois meses, enquanto membros inferiores já estão liberados a partir de um mês.

Além da mastopexia, outro tipo de procedimento que atrai as mulheres neste momento, após a gravidez, é a abdominoplastia. "Este tipo de cirurgia retira a gordura e é indicada para quem tem excesso de pele, que não pode ser resolvido somente com uma lipoaspiração. Existem dois tipos: a miniabdominoplastia, que realiza uma lipoaspiração em todo o contorno corporal e retira pele inferior ao umbigo, sem precisar redesenhá-lo; e a lipoabdominoplastia, que é a mais procurada, atualmente, com uma lipo de tudo e a cirurgia completa no abdômen", informa.

Correção da cicatriz

Incomodada com a dor provocada pela cicatriz da sua cesárea, a jornalista Rafa Brites, postou em suas redes sociais que passou por um procedimento para corrigir esta marca. "Cada um com a sua opinião, eu até acho (que a cicatriz é um símbolo bonito do parto), mas a minha dói. Toda vez que eu vou colocar uma calça jeans, machuca. Quando está pra chover, dói. Todo mundo dizia que ia melhorar, mas já faz três anos. Já fiz todos os tratamentos e não melhorou. Tenho muito colágeno no corpo e a minha ainda ficou dura", desabafou.

De acordo com o cirurgião plástico, Fabricio Regiani, esta é uma pequena cirurgia, uma espécie de reparo no local da cicatriz. "A cesárea é uma cirurgia pela qual se atravessa uma série de tecidos do abdômem. Ao todo, são sete camadas de corte e existem técnicas cirúrgicas para que elas sejam fechadas da melhor maneira possível. Além desses detalhes técnicos, também existe um fator pessoal, que é como o corpo de cada pessoa reage àquele processo", diz.

Quando existe dor ou descontentamento com a cicatriz, a orientação é para que a mulher procure um médico para que ele analise o caso. O tratamento varia muito de uma paciente para outra e pode até ser feito com outros tipos de procedimentos que não sejam a cirurgia.