Interrupções no sono podem elevar risco de morte

13/09/2022

O sono é um assunto fundamental quando falamos de saúde, e sendo assim, diversas pesquisas são realizadas e novas descobertas surgem. Um último dado divulgado por pesquisadores da Universidade de Stanford (EUA) e do Centro Dinamarquês de Medicina do Sono mostra que as interrupções noturnas durante o sono podem elevar o risco de morte em 29% e reduzir a expectativa de vida em quase nove anos.

De acordo com a pneumologista e Especialista em Medicina do Sono, Jessica Polese, neste estudo foi verificado que a fragmentação do sono foi o fator do risco de mortalidade. 'Diferente da insônia, quando a pessoa fica acordada em determinado tempo durante a noite, a fragmentação é quando se acorda várias vezes à noite sem se lembrar", afirma a médica.

"O indivíduo pode ter algumas doenças do sono como apneia do sono, bruxismo, síndrome de pernas inquietas que promovem estes micro despertares, que as pessoas não lembram. Além disso, ele pode estar sonhando ou fazendo algum movimento em que ele acorda, mas volta a dormir, isto é a fragmentação do sono, quando se acorda por menos de um minuto, inclusive", ressalta Jessica.

No estudo, os pesquisadores analisaram primeiro a 'idade do sono' que é atribuída por diversos fatores como a respiração, frequência cardíaca e as interrupções noturnas. Doutora Jessica explica que a partir daí quem teve a idade de sono mais avançada em comparação à sua idade real tem o risco aumentado da mortalidade, segundo o estudo.