Inflação da construção: consultor orienta sobre como manter a rentabilidade das lojas do setor

15/07/2022

Nos primeiros meses da pandemia da COVID, cerca de 70% dos brasileiros realizaram algum tipo de reforma em suas residências, de acordo com levantamento realizado pela Casa do Construtor e AGP Pesquisas em 2021. O mercado de construção civil teve resultados positivos no período com crescimento de 9,7% - a maior alta em onze anos, segundo dados do IBGE. No entanto, esse tempo de céu de brigadeiro tem mudado. A inflação registrada para materiais e equipamentos usados pela indústria da construção medida pelo Índice Nacional do Custo da Construção (INCC), da Fundação Getúlio Vargas (FGV), ficou em 13,84% no acumulado de 2021, o maior índice desde 2003.


O consultor empresarial Glaucio Siqueira aponta que o momento de queda no mercado de construção civil requer criatividade dos lojistas e fornecedores do ramo. "Esse aumento abrupto de preços está impactando fortemente a demanda, que já se apresenta em forte queda. Este é o momento das lojas realizarem novas ações comerciais, especialmente as de visita a obras, criação de canal de e-commerce e capacitar seus vendedores para minimizar os impactos dessa queda", orienta.
Além de destacar a importância do relacionamento com clientes, Glaucio destaca a necessidade de manter contato contínuo com seus fornecedores. O consultor empresarial explica que, mesmo fora do período de reposição de estoque, esse relacionamento é estratégico para a loja, haja vista que o empreendedor poderá se manter atualizado sobre as variações de preço do mercado, evitando perdas.


Negócios online
Segundo estimativa da Morning Consult, metade das pequenas e médias empresas brasileiras afirmam ter estruturado seus negócios no WhatsApp. Glaucio aponta a ferramenta como fundamental, inclusive para lojas de material de construção tradicionais. "Nos tempos atuais é necessário se reinventar e fazer um bom uso dos canais digitais. Este é um ótimo negócio".