Festivalzinho de Cinema de Vitória - 20 Anos de Cinema para o público infanto-juvenil

18/09/2019

O Festivalzinho chega à sua 20ª edição tendo atingido um público de mais de 40 mil crianças, de 57 escolas do Espírito Santo

Entre os dias 24 e 27 de setembro, acontece o 20º Festivalzinho de Cinema de Vitória - Sessão ArcelorMittal. Oportunidade única para que estudantes da rede pública de diversas escolas da Grande Vitória tenham contato com a 7ª arte, o Festivalzinho chega à sua 20ª edição já tendo atingido um público de mais de 40 mil crianças, de 57 escolas do Espírito Santo.

Desde 2000, o evento ajuda a formar plateias e a desenvolver a sensibilidade para as artes, muitas vezes promovendo o primeiro contato com o cinema. Ao longo de suas edições, a mostra já contabiliza mais de 160 sessões, servindo como importante ferramenta educacional. Em 2018, o evento exibiu 7 filmes no Teatro Carlos Gomes, aproximando o cinema e de crianças que, muitas vezes, não têm a oportunidade de conhecer e frequentar uma sala de exibição.

"É muito importante esse marco dos 20 anos da nossa maior ação de formação de plateia dentro do Festival. Sempre tivemos um carinho especial pelo Festivalzinho, que muitas vezes é o primeiro contato de crianças e adolescentes com o cinema. É quando o cinema conquista seu público mais sincero, é quando a mágica acontece", conta a diretora do Festival de Cinema de Vitória, Lucia Caus.

O projeto é uma oportunidade para os estudantes terem contato com filmes vindos de diversas partes do Brasil e estabelecerem conexões com outras culturas. "Isso amplia o repertório desse jovem público, e a sessão se torna, além de um momento de diversão, um instrumento do processo educativo", completa a diretora.

Os Filmes Selecionados

Neste ano serão exibidos oito curtas, selecionados entre filmes recebido de todas as partes do Brasil: Lily´s Hair, de Raphael Gustavo da Silva; Arani Tempo Furioso, de Roobertchay Domingues Rocha; Na Casa da Bisa, de Realização coletiva; O Malabarista, de Iuri Moreno; Guri, de Adriano Monteiro; Metamorfose, deJane Carmen Oliveira; Vida Real, de Camila Mezzeti e Ramon Faria; e 8 Patas, de Fabrício Rabachim (Fora de Competição).

Segundo a curadora Rosemeri Barbosa, a seleção abrange filmes que contam histórias presentes no cotidiano do público infantil, de temas como relações familiares, amizade, amadurecimento e brincadeiras. Também há curtas de animação, para atender ao gosto das crianças pela estética do desenho animado.

Cinema e educação na infância: um impulso ao desenvolvimento

O cinema é um momento de encontro com o outro, que gera questionamentos sobre o conhecido, instituindo novas formas de se perceber a realidade e trazendo novos caminhos para viver experiências antes desconhecidas. É por isso que o contato com produções audiovisuais de vários estilos é tão proveitoso para crianças, principalmente as que estão no primeiro estágio da infância, conhecendo e descobrindo o mundo.

Como dispositivo de educação, o cinema constrói sonhos que atravessam o imaginário infantil. O conceito chamado "Janela de Oportunidades", já bastante explorado por cientistas e pesquisadores da infância, aponta a importância dos primeiros anos de vida para o desenvolvimento cognitivo do ser humano. Ali os pequenos começam a ter experiências fora do ambiente familiar, e nesse período o cérebro tem uma capacidade incrível de aprendizagem.

26º Festival de Cinema de Vitória - Sessão ArcelorMittal

O 20º Festivalzinho de Cinema de Vitória - Sessão ArcelorMittal faz parte da programação do 26º Festival de Cinema de Vitória, que acontece entre os dias 24 e 29 de Setembro no Centro Cultural Sesc Glória, Hotel Senac Ilha do Boi e Cine Metrópolis. A programação do Festival também conta com outras 11 mostras competitivas (confira a lista completa dos selecionados no site), além de atrações musicais, oficinas, painéis, debates e sessões especiais.

O 26º Festival de Cinema de Vitória tem o patrocínio do Ministério da Cidadania, através da Lei de Incentivo à Cultura, da ArcelorMittal, do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul - BRDE, do Fundo Setorial do Audiovisual - FSA e da Ancine, conta com o copatrocínio da EDP e do Banestes, com o apoio da Rede Gazeta, da AdoroCinema, da Ceturb ES, da Prefeitura Municipal de Vitória e da Secretaria de Estado de Turismo (Setur-ES). O Festival conta também com o apoio institucional do Centro Técnico do Audiovisual - CTAv, da Mistika, da CiaRio, da Link Digital, do Centro Cultural Sesc Glória, da Jangada VOD, do Canal Brasil e da Carla Buaiz Jóias. A realização é da Galpão Produções e do Instituto Brasil de Cultura e Arte.

Serviço:

20º Festivalzinho de Cinema de Vitória - Sessão ArcelorMittal

Data: 24 a 27 de Setembro, às 09 e às 14 horas

Local: Cine Metrópolis

Entrada franca

Conheça os filmes selecionados:

Lily´s Hair (Raphael Gustavo da Silva, FIC, GO)

Lily é uma garota negra que não gosta de seus cabelos. Com a ajuda de Caio, seu amigo cadeirante, tenta ter os cabelos do jeito que sempre sonhou.

Arani Tempo Furioso (Roobertchay Domingues Rocha, FIC, ES)

Cinco adolescentes e uma menina de 9 anos passam o fim de semana juntos em uma casa de campo. Após Alice mexer num armário, eles descobrem uma antiguidade. Curiosos resolvem seguir as instruções que encontram dentro da peça. Eles são transportados para dentro de um universo paralelo, onde percebem que precisam se unir. Eles tem pouco tempo para atingir o objetivo, ou ficarão presos para sempre.

Na Casa da Bisa (Realização coletiva, ANI, RJ)

Dois irmãos que passam o fim de semana na casa da avó e em meio às brincadeiras, descobrem um passado distante de sua família desconhecido por eles até então.

O Malabarista (Iuri Moreno, ANI, GO)

Documentário em animação sobre o cotidiano dos malabaristas de rua, que colorem a rotina monótona das grandes cidades.

Guri (Adriano Monteiro, FIC, ES)

Victor é um menino de 12 anos que sonha em vencer um campeonato de Bolinha de Gude do seu bairro.

Metamorfose (Jane Carmen Oliveira, ANI, MG)

Em busca de aceitação e felicidade, uma menina se espelha nas pessoas ao seu redor.

Vida Real (Camila Mezzeti e Ramon Faria, ANI, MG)

O que devemos fazer quando descobrimos que a vida não é, literalmente, uma vida de princesa?


8 Patas (Fabrício Rabachim, ANI, SP) (Fora de Competição)
Ao receber uma visita inesperada, Beatriz se vê dentro de seu pior pesadelo. A aparição de uma pequena aranha transforma o conforto de seu lar em uma sucessão de desventuras, que provará que o maior perigo a enfrentar é o seu próprio medo.