Ensino bilingue contribui para alfabetização de crianças surdas

20/08/2021

Estudos demonstram que fazer sinais pode ajudar a criança a aumentar seu vocabulário e melhorar suas habilidades de ortografia e leitura

A alfabetização é uma das etapas mais importantes na vida das crianças. Nessa fase, é necessário ter uma atenção redobrada com os estudantes para que o aprendizado seja eficaz. Porém, grande parte das escolas não possuem projetos de inclusão para surdos. Sendo que os números do Censo Escolar de 2016 registram que o Brasil possui, na educação básica, 21.987 estudantes surdos.

A inclusão desses alunos no processo de aprendizagem envolve muitos desafios para famílias e profissionais de ensino. O uso de sinais com crianças na educação infantil e séries iniciais ajuda no desenvolvimento de sua linguagem escrita e contribui para o processo de alfabetização, facilitando o aprendizado da língua portuguesa.

O Programa de Avaliação Nacional do Desenvolvimento Escolar do Surdo Brasileiro (Pandesb), mediu competências como compreensão de textos e de sinais e qualidade da escrita de mais de 9 mil estudantes com surdez em 15 estados e mostrou que as crianças que sabem libras aprendem mais e melhor a ler e escrever em português.

A especialista em Libras, Iraci Freire - que participa nas orientações para a gravação do programa Hora dos Sinais para Bebês, que ensina a língua dos sinais para os pequenos - explica que essa aquisição prévia só vai contribuir para aprimorar o aprendizado do português e no desenvolvimento também.

"Se a criança ainda não interage por meio de uma língua, o envolvimento nas brincadeiras, o aprendizado da rotina escolar, a compreensão de regras, a participação nos momentos literários e todas as outras atividades escolares acabam não fazendo sentido para ela. Por isso, é muito importante ter esse incentivo para o aprendizado de uma primeira língua, para que depois elas consigam escrever a língua portuguesa e sinalizar", comenta.

Facilidade dos pequenos para o aprendizado

Iraci Freire explica que a partir dos quatro meses, os bebês já conseguem ter mais atenção nos movimentos e sons, conseguindo ter uma dedicação maior para observar os sinais. "Especialistas descobriram que as crianças que tem contato com sinais mais cedo, conseguem responder por este método já com seis meses de vida. Além disso, por meio dos sinais, eles podem se comunicar de uma maneira diferente com os pais, mesmo que ainda não seja capaz de se expressar verbalmente. É uma entrada sensorial a mais para o cérebro, alternativa, que não prejudica a entrada auditiva", explica.

No início, os pais devem começar devagar. "Num primeiro momento, apresente poucos sinais, sendo um de cada vez. Quando o bebê aprender o primeiro, pode passar para o próximo. Os pais devem dizer a palavra ao mesmo tempo em que fazem o sinal, em diferentes circunstâncias, assim o bebê aprenderá com o som, com o gesto e a representação do que foi dito. Tudo isso deve ser feito de forma tranquila, respeitando o tempo da criança. Em poucos meses uma evolução já será percebida e o bebê já vai estar fazendo cerca de 20 sinais ou mais", orienta.

Hora dos Sinais para Bebês

Criado nos Estados Unidos com o objetivo de ensinar a língua de sinais americana para bebês e crianças, o programa de TV Baby Signing Time desembarca no Brasil com o nome de Hora dos Sinais para Bebês e gravação dos episódios no Espírito Santo. A estreia está prevista para o final de 2021, inicialmente com exibição em formato online pela plataforma My Signing Time.

A equipe é totalmente capixaba e conta mais de 20 profissionais envolvidos diretamente no trabalho. O programa Hora dos Sinais para Bebês terá a apresentação da atriz capixaba Cassia Capellini com músicas interpretadas por um coral capixaba formado por crianças selecionadas para o projeto.

O projeto foi idealizado pelas irmãs Emilie Brown e Rachel Coleman, a partir das suas experiências com seus filhos Leah Coleman e Alex Brown, que são surdos. Rachel também é a apresentadora da série na versão americana, atua no conselho da Associação Nacional de Crianças Surdas Norte Americana (EUA) e é chefe da Fundação Signing Time.

O Baby Signing Time já foi exibido pela TV aberta, na Netflix, no Nick Jr (canal de TV por assinatura americano), dentre outros veículos. Eles já receberam mais de 80 premiações e até nomeação para o Emmy Award.