Dentro e fora das telas: mercado automotivo quer conquistar mulheres

08/09/2021

O nono filme da franquia 'Velozes e Furiosos' foi um exemplo de maior representatividade feminina, ao mesmo tempo que o setor atrai cada vez mais este público

Contestando a representação feminina nos filmes da franquia Velozes e Furiosos, que são majoritariamente protagonizados por homens, a atriz Michelle Rodriguez apontou a garantia na contratação de uma mulher para fazer parte do time de roteiristas do longa, como o motivo para ela ter concordado a voltar para a nona produção, que foi exibida nos cinemas, recentemente.

"Eu senti que a voz feminina na franquia não era suficiente. Você deveria evoluir com o tempo, não só manter o mesmo demográfico que está preso com você", revelou em um evento sobre igualdade em Londres, antes de anunciar sua volta. Em Velozes e Furiosos 9, os críticos apontam que há uma vontade e tentativa nítida de trazer mais protagonismo para Letty, Mia Toretto, Ramsey e até mesmo Cipher, uma das vilãs mais poderosas que já passou pela saga.

E essa representatividade que chegou nas telonas, também pode ser percebida no cotidiano do mercado automobilístico. De acordo com dados do Instituto Ipsos, a terceira maior empresa de pesquisa e de inteligência de mercado do mundo, atualmente, as mulheres representam quase 50% do público consumidor de automóveis e sua influência na compra do veículo pelo casal ou da família chega a 90% dos casos.

Atenta a toda esta participação no mercado, a indústria automotiva tem projetado modelos mais recentes de veículos com acessórios e outros mimos para agradar as necessidades das mulheres na busca por um carro. De acordo com Luana Oliveira, analista de marketing da Prime Hyundai, essa mudança pode ser percebida desde a oferta múltipla de cores - passando por design, posição de dirigir, espaço interno, acabamento de bom gosto e praticidade - até o lançamento de modelos totalmente projetados para elas e voltados especialmente para este público.

"Antes, a ideia que se fazia era de que os homens apreciavam a potência dos veículos e a mulher só se preocupava com a estética e outros pormenores do carro. Mas, a realidade não é bem esta e, por isso, é preciso ter cuidado para não cair nestes clichês. Afinal, elas têm um olhar muito apurado nos quesitos de segurança, conforto, conectividade, espaço, além da estética", conta.

É possível observar algumas tendências, que vão muito além dos acessórios, quando o tema são "carros femininos". Os modelos compactos, por exemplo, tem um espaço especial no coração feminino. Neste quesito, o HB20, da Hyundai, está no ranking dos preferidos. De acordo com Luana Oliveira, analista de marketing da Prime Hyundai, um dos motivos é o "casamento" de um bom desempenho dos motores 1.0 e 1.6 com um design interno atraente.

"Eles reúnem mais praticidade, além de maior segurança. Dois pontos fundamentais para este público, que já deixou de lado o olhar apenas para o estético e costuma ser bem mais exigentes do que os homens. Inclusive, mais um quesito a ser observado é a tecnologia, que também está muito presente no HB20 com uma nova central blueMedia de 8 polegadas, uma tela digital Supervision Cluster Evolution do painel de instrumentos, dentre outros itens, além do Hyundai Bluelink, que é um sistema de carro conectado da Hyundai", explica.