Cultura do bem-estar: felicidade interna bruta (FIB) aumenta em até três vezes a rentabilidade

23/06/2022

Wander Miranda, CEO da Enjoy Work, revela estratégias de bem-estar para aprimorar os resultados dos residentes do coworking localizado na Serra
A felicidade, dentro do contexto empresarial, deixou de ser apenas um conceito filosófico, para se tornar índice estratégico. O indicador de Felicidade Interna Bruta (FIB), criado pelo Governo do Butão na década de 1970, também é adotado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e é baseado na premissa que a "riqueza" vai além do desenvolvimento econômico, abrangendo também o bem-estar psicológico e cultural. Wander Miranda, CEO da Enjoy Work Coworking, destaca que a cultura do bem-estar contribui para os resultados das empresas e equipes.
"Um profissional feliz produz mais. Isso é fato comprovado por estudos e, na prática, é possível observar que a oferta de serviços como massoterapia que implementamos na Enjoy, por exemplo, reduz dor muscular, promove o bem-estar e melhora a produtividade. É um investimento de 20 minutos em felicidade que promove resultados no trabalho das empresas residentes no coworking", comenta.
Dados divulgados pela Universidade da Califórnia dão conta que um profissional feliz é, em média, 31% mais produtivo, três vezes mais criativo e vende 37% a mais em comparação com outros. "Passamos a maior parte do dia no trabalho e, por isso, um ambiente humanizado é fundamental para a saúde física e mental das pessoas", analisa o executivo Wander Miranda.
Café e integração
Como boa prática de promoção do bem-estar e conexão, a Enjoy Work promove semanalmente o Coffee de Negócios. Wander explica que a cultura do bem-estar é consolidada por pequenas boas práticas como esta. "Empresas são feitas por pessoas e para pessoas. Entender essa relação é o começo de uma jornada de trabalho humanizada e mais eficiente", aponta Wander.