Conheça os benefícios da ludicidade no mundo corporativo A neuroeducadora Thaís Bicalho explica como criar um ambiente mais lúdico e também revela quais são os maiores impactos gerados a partir desta iniciativa.

15/07/2021

A ludicidade no mundo corporativo promove um ambiente mais criativo e garante melhor integração entre os colaboradores, impactando positivamente nos resultados. A afirmação é da neuroeducadora e atriz Thais Bicalho, que garante que são inúmeros os benefícios provocados ao se criar um ambiente mais lúdico dentro de uma empresa.

Segundo a especialista, embora muitas pessoas relacionem as atividades lúdicas às crianças, é importante esclarecer que estas são voltadas para todos os públicos. "Sua aplicação promove uma verdadeira evolução nas pessoas, independentemente da idade, pois trabalha questões importantes como a sociabilidade, o relaxamento, integração, espontaneidade, autoconhecimento e autorresponsabilidade", explica Thais Bicalho. Ela destaca que os resultados positivos serão alcançados se as atividades lúdicas forem bem desenvolvidas e aplicadas por profissionais qualificados.

Entre as atividades que podem ser realizadas, a neuroeducadora sugere que sejam priorizadas aquelas que despertem o trabalho em equipe e que exaltem o poder do coletivo em um ambiente institucional. "É uma iniciativa que vai gerar ações fundamentais para o bom andamento do grupo, como cumplicidade, compromisso com o resultado, segurança, confiança e realização profissional", afirma Thais Bicalho, que lista como exemplo uma reunião que pode ser rápida e eficaz através de uma prática lúdica (como um jogo aplicado pelo gestor).

Ações devem ser constantes

Thais Bicalho revela que ainda há empresas que investem na ludicidade de forma esporádica para funcionar como um "quebra gelo" entre os profissionais. E defende que é necessário que essas ações aconteçam constantemente, tornando assim o ambiente mais harmonioso. Ela sugere que seja feito um calendário de atividades, com a previsão de datas para que todos se programem e não interfira na produção. E propõe o "break lúdico", uma forma de ter um tempo para o brincar, assim como a pausa para a ginástica laboral. "Empresas que apostam na criação de uma atmosfera lúdica demonstram que valorizam o lado humano dos seus trabalhadores, que buscam, sim, resultados positivos, mas a partir de um ambiente humano e acolhedor, onde os colaboradores são motivados a darem o seu melhor de forma mais leve e consciente", explica a neuroeducadora.

De acordo com Thais Bicalho, a abordagem lúdica também elimina o julgamento já que, brincando, a pessoa se conecta com sua criança interior e se permite entregar o que tem de melhor. "Isso acontece através da segurança psicológica, pois o indivíduo aprende de forma não traumática", destaca.