Cerveja com lavanda na primavera dos capixabas

21/09/2021

Convento Cervejaria inspira-se na lavanda e lança cerveja especial para a estação

A Primavera é uma estação colorida, referência das flores, temporada da transição para a chegada do verão. Neste período com as temperaturas ainda leves, porém mais aquecidas, a cerveja artesanal surge como uma ótima pedida e, principalmente se ela for inspirada na estação florida.

Que tal em lavandas, que têm encantado os capixabas atualmente? Pois bem, a Convento Cervejaria criou uma cerveja feita com lavanda, mais precisamente do lavandário Khas, que fica em Venda Nova do Imigrante. A cerveja no estilo Saison, é popular na primavera europeia, entre o norte da França e o sul da Bélgica. "É comum a utilização de flores nativas da região deles, nós fizemos uma adaptação e utilizamos a lavanda capixaba como o nosso principal ingrediente", explica Léo Leal, um dos sócios da fábrica de cerveja artesanal capixaba.

Sobre as características da bebida, Léo destaca seu sabor frutado, denso e complexo. "Como sua origem é caseira, o processo de produção é relativamente simples, sendo fermentada em altas temperaturas. O resultado é de uma bebida densa com boa formação de espuma, de coloração entre dourada e palha e de aspecto turvo. No aroma, o tradicional é encontrar notas frutadas em conjunto com a levedura, e, é claro, com as flores", destaca.

"E neste sabor frutado, também contamos com o amargor moderado, acidez leve e final seco. É bastante comum encontrar ingredientes inusitados em sua composição, garantindo um sabor complexo", pontua Leal. "Tudo que estiver ao alcance da cozinha cabe aqui", ressalta o empresário.

A Convento Cervejaria mostra mais uma vez a valorização dos produtos capixabas em mais uma criação de cerveja artesanal totalmente capixaba.

História

Esse estilo de cerveja surgiu nas fazendas de Valônia, uma região rural localizada ao sul da Bélgica. Por essa razão, esse estilo também é conhecido como Farmhouse Ale, que em tradução livre significa "casa da fazenda".

Sua produção era sazonal (daí o nome Saison), sempre ao fim das estações frias, para que os trabalhadores não ficassem "ociosos", já que no inverno a demanda de trabalho era menor, e também porque o processo de fermentação em estações quentes era afetado, levando a grande maioria das garrafas produzidas nessas estações a estragar.

Como não existia refrigeração na época, a cerveja teria que ser produzida em temperaturas amenas, ser resistente e robusta para aguentar a subida do termômetro, e ao mesmo tempo ser agradável e refrescante para matar a sede.