Animais também têm alopécia

18/04/2022

A alopécia em gatos e cachorros, também chamada de alopécia felina e canina, respectivamente, é caracterizada pela perda excessiva de pelos em uma ou mais partes do corpo do animal. Essa queda dos pelos pode ser causada por diversos fatores diferentes, entre eles, dermatite de contato, foliculite e dermatose solar.

Segundo a farmacêutica Luiza Scardua, os mais variados tipos de alergia são os motivos mais comuns da queda elevada de pelos, mas não são os únicos. "Estresse, doenças diversas, parasitas e até fatores genéticos podem influenciar na manifestação neste que é um incômodo terrível para os pets", diz.

Normalmente, a doença começa a se manifestar entre os dois e seis anos de idade do animal. O principal sintoma é a queda de pelo localizada. Mas, pelo fato de não causar inflamação, o pet não apresenta coceira e nem feridas na região.

Para a médica veterinária e especialista em gatos, Polyana Paixão, a alopecia em cães e gatos tem como principais causas, além das doenças alérgicas, as fúngicas. "O cão é mais alérgico que os gatos e apresenta demartite atópica, hipersensibilidade alimentar e dermatite de carrapato e pulga. Nessas situações, eles se coçam e acabam arrancando o próprio pelo fazendo área de alopecia. Já nos gatos o mais comum é vermos a demartite fúngica, na qual o fungo se alimenta da base do pelo. Pode haver também o hipertireoidismo que gera a queda de pelo e deficiência de vitaminas como a A, B e Zinco que geram o problema", explica.

Depois do diagnóstico, é importante redobrar os cuidados. "Hidratar o pelo do animal, usar produtos hipoalergênicos e evitar passeios ao ar livre são fundamentais para não piorar o caso", aconselha.