Ainda dá tempo de ficar em forma para o verão

23/10/2019

É possível fazer alguns procedimentos não invasivos, que permitem exposição ao sol, durante a estação mais quente do ano

Os capixabas estão tendo dias com temperaturas mais baixas neste inverno e, com isso, pode-se perceber uma certa ansiedade por parte das pessoas para a chegada do verão. Mas, ao mesmo tempo, ainda tem muita gente preocupada com o corpo e querendo fazer alguns ajustes até a chegada da estação mais quente do ano. Afinal, tem sempre aquela turma que não fez nada o ano inteiro com aqueles desconfortos e agora bate aquela sensação de que precisa tomar providência.

O tempo apertado acaba fazendo muita gente desanimar de vez e adiar os planos para o próximo ano. Por isso, o cirurgião plástico Fabrício Reggiani orienta que há alguns tipos de procedimentos não invasivos, indicados neste caso, que geram bons resultados, em um rápido período para recuperação. "Um exemplo é o CoolSculpting, um sistema que diminui aquelas gordurinhas localizadas, sem o uso de agulhas, faixas ou cintas e drenagens. Além disso, é possível ter uma redução de até 20% ou 30% na camada de gordura na área tratada em uma única sessão.", explica.

No caso deste tipo de tratamento o mecanismo utilizado é o chamado apoptose. "Neste processo, o número de células de gordura é reduzido, gerando um tratamento permanente. Ao contrário do que é feito com radiofrequência, manta térmica e até mesmo com as enzimas, que utilizam um mecanismo chamado lipólise, que é a quebra da gordura, dentro da célula. Eles ajudam e possuem sua eficácia, mas a gordura tende a retornar", pontua.

O médico também aponta uma procura maior pelo tratamento nas clínicas. "É o procedimento mais utilizado no mundo para remoção não cirúrgica de gordura localizada, pois é o único com autorização do Food and Drug Administration (FDA - que é a agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos)", conta.

Outras técnicas

Muitas pessoas estão em busca de procedimentos para rejuvenescimento e o mercado tem apresentado tecnologias cada dia mais modernas e eficientes neste sentido. Um exemplo é o Ultherapy, que é o único aparelho que trabalha com ultrassom focado de alta precisão com visualização, o qual permite melhorar e esticar os tecidos conectivos.

"Com este equipamento é possível visualizar as camadas da pele do paciente, por meio do ultrassom, emitindo a energia na profundidade, temperatura e precisão ideais. Desta forma, o procedimento utiliza a resposta regenerativa do próprio organismo (estímulo de colágeno) para promover: tratamento da flacidez facial, papada e pescoço; lifting facial; melhora das rugas; e ainda melhora das linhas finas do colo", explica.

Para quem tem um pouco mais de flacidez, é possível associar um estimulador injetável ao tratamento. "É um dos tratamentos mais eficientes do mercado, indicado para quem deseja ativar a formação de colágeno da pele, já que aumenta em até 400% a sua produção depois de aplicado", aponta.

Segurança

Independente de qual a necessidade ou a escolha do paciente, é importante que qualquer um dos procedimentos apontados sejam feitos com um médico de confiança que utilize aparelhos com qualidade e que apresente referências de tratamentos anteriores e os resultados alcançados. "O local é algo muito importante para ser avaliado e também é fundamental observar e ficar atento as orientações para antes e depois do processo", sugere.